Memórias do Velho Mundo – Alemanha – Kassel, Trendelburg e Sababurg

Os primeiros Castelos da Alemanha: Trendelburg e Sababurg
A Alemanha é um país impressionante e isso dá para perceber em poucas horas lá. A organização e a pontualidade são traços marcantes e conhecidos, mas pouca gente fala do povo, que além de tudo é simpático. O nosso objetivo lá era visitar alguns dos castelos mais famosos e conhecer a rota dos Irmãos Grimm. Depois da cidade do flautista de Hamelin, fomos conhecer os Castelos de Sababurg e Trendelburg, que também foram utilizados como pano de fundo para lendas germânicas.

#79 Kassel
Kassel é uma cidade de tamanho médio, e como muitas da Alemanha, extremamente urbanizada. A organização dá de 7 x 1 em várias localidades brasileiras. Apesar de ser ter perto de 200 mil habitantes, há uma sistema de transporte integrado via trams que levam conectam o centro e os bairros mais afastados com a região e o Bahn nacional por meio do ICE, o trem-bala. Detalhe que a cidade foi basicamente reconstruída na década de 1950 em virtude da sua destruição na Segunda Guerra Mundial.
Se a Alemanha era organizada, a gente já não tanto. As vezes organizar demais a viagem a deixa muito engessada. Nesse caso, a gente acordou mais tarde e era um dia em que programamos visitar dois castelos. Acontece que enrolamos e só chegamos em Kassel no meio da tarde e nem sabiamos exatamente como ir até os castelos ou ainda o nosso hostel. Descemos em Papierfabrik e pegamos outro Tram (bonde).
Perto da Friederichsplatz, paramos para nos organizar e resolvemos comer em um restaurante, e adivinha o que era? Currywurst.
A gente não conhecia tão bem a cidade e no final demos uma volta desnecessária.
Depois chegamos ao nosso hostel, o DJH Youth Hostel, que era bem interessado e nos deixou intrigado porque estava para lá de cheio e sinceramente foi o maior Hostel (em tamanho), que eu já passei na minha vida.
Não dava mais tempo de fazer nada naquele dia, e resolvemos dar um rolê e jantar, um prato fantástico de macarrão com champignon, e mais uma vez um restaurante que não falava inglês.
# 80 Hofgeismar
A internet é uma ferramenta incrível e lá descobrimos que poderiamos pegar um ônibus até os castelos que visitaríamos. A nossa primeira ideia era alugar um carro mas tinhamos alguns problemas de logística. Chovia para cacete e nós pegamos o bonde até Hofgeismar, uma estação um tanto vazia, de onde partiam alguns onibus.
#81 Sababurg, o primeiro castelo.

 

 

 

 

 

Como eu disse, chovia muito e isso atrapalhou um pouco. Guarda-chuva? Nada. O Castelo de Sababurg fica perto de um zoológico. A primeira coisa que notamos é que vários antigos castelos foram transformados em Hotéis. Esse era um deles. Se houve uma intervenção da iniciativa privada e do caráter negocial, no fim isso certamente fez bem ao lugar, que é uma ruína e está bem conservado como tal. Deixamos as malas lá dentro e demos uma volta.
O mal de ir no inverno é que os programas são limitados. Lá, na primavera, eles tem um tour pelo castelo e inclusive encenações. Nós tivemos que nos contentar com a vista e as fotos mesmo, que ficaram legais.
O castelo serviu de inspiração para os irmãos Grimm criarem o conto da Bela Adormecida.
#82 Trendelburg, a torre de Rapunzel.
Aquela chuva danada e nós ainda tinhamos algumas horas para visitar o outro castelo, que se chama Trendelburg. Não tivemos dúvida e pedimos um taxi, e ponto para os Alemães, que nos ajudaram a fazer o pedido. Até porque para pegar o onibus teriamos que voltar para Hofgeismar.
De longe se avista a torre de Trendelburg, um lugar memorável e belo. Do lado da torre, mais um hotel e com um restaurante chique. A boa notícia é que nos deixaram subir e inclusive visitar a masmorra, por um preço módico de cinco euros. Masmorra? Não tivemos duvida. Enfim algum detalhe medieval na viagem. Efetivamente, havia prisões e itens de tortura masmorra abaixo. Alguns pareciam tão verdadeiros que nos questionamos se foi realmente usado.
Muito da estrutura da torre é antiga e por isso a subida tem uma parte meio precária. Isso torna a experiência certamente muito melhor. Há aquela janela que inspirou os irmãos Grimm no conto Rapunzel. Mas melhor do que isso, no alto da torre, a vista é fantástica e sublima qualquer ódio no coração dos visitantes. Ok, não chega a tanto, mas vale o dinheiro gasto e todo o deslocamento desde o Brasil.
Na volta, comemos mais uma inesquecível comida fantástica que eu infelizmente não lembro, mas veio com um litrão de cerveja.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

#83 Perrengue Alemão – Deutsche Perrenguen

A gente ficou tanto tempo tirando zilhares de fotos nos castelos que perdemos a noção do próprio. Voltamos para Kassel e ainda tínhamos que ir para Frankfurt e dormir lá no mesmo dia. Isso por que a visita aos castelos tava programada pro dia anterior. Quem manda enrolar?
Conseguimos comprar um passagem de ônibus para lá, e estava convenientemente marcada para as 21h30. Ainda era relativamente cedo e nós demos uma volta em Kassel e tentamos infrutiferamente visitar o castelo e o parque eu ficam na própria cidade.
Voltamos para a Papierfabrik debaixo de uma chuva chata e um frio implacável. Esperamos e esperamos e nada. Para nossa sorte, havia um alemão que também iria para lá e informou que o onibus iria atrasar. Masoq? Isso também acontece na Alemanha? Claro irmão. Em razão de obras ou acidentes, nós ficamos esperando um bom tempo. O ônibus só foi chegar as 01h30 da manhã e uma longa viagem aguardava a gente. Mas isso fica para outro capítulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.