Memórias do Velho Mundo – Genebra – Introdução e economizando na cidade

Genebra, Genf, Geneva, Genève. A minha visita a Genebra foi estratégica e fatídica. Eu tinha que passar pela Suíça mesmo por que o meu vôo de volta era por Zurique. Então era natural dar um rolê por algumas cidades. Genebra foi a primeira. Eu gostei tanto da cidade que queria morar lá. Mal sabia eu o que me esperava quando voltei ao Brasil: fui aprovado para fazer Mestrado nesta belíssima cidade da Suíça e vou morar lá. Mas essa história fica para outro post. Aqui, eu vou explicar como foram as minhas primeiras impressões, e dizer que a Suíça foi paixão à primeira vista, e de longe, o país que eu mais gostei da Europa. Pra começar, que tal saber um pouco mais sobre a Suíça, a cidade, e como economizar?

Memórias do Velho Mundo – Em Genebra – Introdução e economizando na cidade.

.

#106 – Chegando na fatídica Genebra. Um pouco sobre a cidade e a Suíça.

Em primeiro lugar, a Suíça é muito diferente daquilo que você vê e pensa. Se você só imagina neve, chocolates e relógios, tem muito a aprender e a ver meu caro. Há muita beleza natural, monumentos, história e lugares para praticar esportes e compras. A Suíça também é muito diferente dos outros países europeus. E a mesmo tempo, muito parecida. Antes de mais nada: alguns lugares aceitam Euros sim. Não são poucos. Mas leve Franco Suíço, que é a moeda local. Aqui se fala francês, mas a maior parte da população fala inglês também.

Genebra é uma das portas de entrada na Confederação Helvética (um dos nomes oficiais da Suíça e o motivo de os sites suíços terem o código “ch”) e uma cidade global. Logo de cara você percebe que há muitos estrangeiros chegando e saindo do Aeroporto o tempo todo. A primeira coisa que você tem que saber é: A Suíça é dividida em cantões, e cada um destes tem as próprias línguas oficiais – as vezes mais de uma. Falando superficialmente, no Oeste, se fala Francês. No Sul, Italiano. Em pequenas porções do Leste, Romanche. E no Centro e Norte, o alemão (na verdade, um dialeto Suíço chamado Schwitzer Dütsch, que é proporcionalmente a língua mais falada do País. O mapa abaixo detalha melhor:

.

linguas

.

Olhe para o mapa novamente. O que mais você percebe na Suíça? Lagos, muitos lagos. A maioria é lindíssimo e bem cuidado. Eu visitei o Lago Thun e fiquei apaixonado. Logo eu escrevo sobre essa aventura. A Suíça é um país de grandes belezas naturais, e quando eu chegar na parte dos Alpes, você também vai se encantar. Mas antes disto, vamos voltar para Genebra. No mapa acima, há um ponto verde à Oeste que parece meio isolado, na ponta de um grande Lago – chamado Lago Genebra ou Lago Léman, em francês. A cidade fica no entorno deste lago, nesse “pé” verde.

.

460px-Subdivisões_da_Suíça

.

Eu disse que Genebra é uma cidade global. Por que? Por que mais de 40% dos seus habitantes é estrangeiros. Porque é uma das sedes da ONU e de outras Organizações Internacionais importantes, como a OMC, a Cruz Vermelha, a OIT, etc…. São mais de 280 organizações que tem sede nessa cidade que não ultrapassa 200.000 habitantes. Genebra tem menos população que Sorocaba, meu amigo.

.

DSC_1982 (1024x768)
A ONU tem sede em Genebra e eu fui lá para testemunhar e ver o meu futuro lugar de trabalho [sonha]

.

 

#107 – Economizando em Genebra.

O que? É possível economizar na Suíça?  É claro que sim. Mas todo mundo fala que é o país mais caro do mundo! Mas é sim. É quase tão caro ou mais caro ainda que Londres, Nova York e Tokyo. Mas convenhamos. Se você mora em São Paulo, Rio e Brasília, ou pelo menos já visitou estas cidades, sabe como elas são caras. Existem algumas coisas que estão no mesmo preço de Genebra ou são até mais baratas lá. Muitas coisas não tem grande diferença.

.

Economizando

A primeira coisa que você tem que saber é: transporte. Assim que você chega do Aeroporto de Genebra (curiosidade: uma parte dele fica na França), o Geneva Cointrin,  logo depois do setor de alfândega e perto do setor de bagagens, você pode retirar um bilhete gratuito que vale por 60 minutos para todos os transportes de Genebra dentro da cidade. Aí você já começou a economizar =). Em outras cidades como Paris, Tokyo e Nova York, você pode gastar facilmente mais de 80 reais só para chegar no seu Hotel ou Hostel.

Depois do aeroporto você vai para a estação central, que é a Gare de Cornavin. De lá partem trens, bondes (trams) e ônibus para vários cantos da cidade e para outras localidades próximas, como Vevey, Montreux, etc…

GENEVA_TRANSPORT_CARD_2015_694x300
Transporte público gratuito na cidade durante toda a sua estadia com o GTC

.

GTC: Você vai economizar mais ainda com o transporte com o Geneva Transport Card. É um passe que você ganha  por toda a sua estadia em Hotel, Hostel ou acampamento, e ele simplesmente lhe permite utilizar todo o transporte público da cidade de graça, por trens, ônibus e trams. Isso mesmo: de graça, e durante toda a sua estadia. Mais do que isso: com o passe dá para cruzar o lago (faça, faça isso! vale a pena) também.

Você pede o GTC na recepção do local da sua estadia. Mais informações em (inglês):

http://www.geneve-tourisme.ch/en/useful-information/how-to-get-around/geneva-transport-card/

Quer mais. Boa parte da cidade é coberta por uma rede rápida de Wi Fi gratuito, a Geneve Ville Wifi, o que vai te salvar uma boa grana de roaming ou internet móvel.

DSC_2063 (1024x576)
O centro de Genebra com enfeites de Natal

.

Você vai pagar um pouco caro para alimentação, exceto chocolates e alguns queijos. Alguns pratos médios são 15 CHF, ou seja, 50 Reais, um precinho bem salgado. Mas o que você economiza com transporte certamente vale a pena.

É claro, é possível andar em Genebra e em geral os lugares não são muito distantes. Há dois parques no entorno do lago (O de La Grange no sul e o Mon Repos no oeste), o jardim inglês, e a vida basicamente gira perto da água. Se você ficar nesta região, consegue fazer tudo a pé, mas os bondes e ônibus tem seu charme.

.

DSC_2011 (1024x768)
O Lago Genebra / Lac Léman, que dá o tom da vida na cidade, e é navegável e nadável.

.

No próximo post, eu falo um pouco mais sobre a minha estadia e os programas que eu fiz no primeiro dia.

 

One thought on “Memórias do Velho Mundo – Genebra – Introdução e economizando na cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.