Memórias do Velho Mundo – O Lago Genebra. E o famoso Fondue suíço.

Visitar Genebra e não conhecer o lago é o mesmo que comer pizza sem massa de tomate. Aliás é até difícil conseguir tal feito. Muito de Genebra é sobre o lago. Outra coisa que você tem que necessariamente fazer na Suíça é comer fondue. Nesse post eu conto a minha experiência, tanto no lago, como em um dos restaurantes de Fondues mais famosos de Genebra, o Le Bain des Paquis.

_

Memórias do Velho Mundo – O Lago Genebra. E… fondue.

DSC03450

_

#112 Lago Genebra

O lago Genebra é o nome dado à porção Sul do Lago Lemano, ou seja, a parte rodeada pela cidade de Genebra. O nome oficial em Francês é Lac Léman e em Alemão, Genfersee. Ele também é conhecido como Pequeno Lago – o que eu discordo. Na verdade, é o maior corpo d’água da Suíça. Quem sai de Genebra rumo às outras regiões da Suíça vai ver que o Lago é tão grande que acompanha a sua janela do carro ou do trem durante mais de uma hora.

Quem vê hoje nem imagina que na década de 60/70 o lago era quase morto e a visibilidade era quase zero. Atualmente, as águas do Lago são belas, límpidas, de um azul brilhante e tem muitos peixes e animais, mas não deixam de ter um pouco de poluição, em níveis muito menores. Nem se compare ao Tietê, claro, ou a Lagoa Rodrigues de Freitas. É muito mais limpo. O Lago é navegável e é possível inclusive tomar banho (Não faça isso no inverno :mrgreen: ), fazer mergulho, scuba, windsurf, vela, skiboard e wakeboard. O lago também tem um evento famoso de regatas todos os anos, o Tour du Lac.

É tão belo que diversas celebridades tinham moradia em alguma das cidades que circundam o lago, como Freddie Mercury (que tem uma estátua em Montreux), Charlie Chaplin (que morreu em Vevey), Michael Schumacher e David Bowie.

Não a toa que o Lago é o cartão postal da cidade e tem diversas outras atrações ao redor, como o Jet de L’eau (um jato enorme de água), o Parque Mon Repos, ao norte, o Jardim Inglês, a Praia de Genebra (sim, Genebra tem uma “praia”), o Parque de La grange e o Relógio de Flores.

DSC_2037 (1024x576)
O Lago Genebra e o Mouette (Barco-Táxi amarelo)

Transporte interno: Um passeio simples, mas que eu aconselho demais é: Cruze o Lago de barco. Dura apenas alguns minutos, mas te permite dar uma olhada de quão grande o Léman. São os táxi aquáticos amarelos, que você vai ver como Mouettes. São quatro linhas que ligam pontos diferentes da cidade, como você pode ver no mapa abaixo.

Há dois tickets – o só de ida, e o de 60 minutos, pelo qual você pode usar os transportes locais (além do barco, os bondes e ônibus) ilimitadamente dentro do período. E como eu disse em outro post, se você tem o Geneva Transport Card, pode utilizar gratuitamente dos Mouettes. 

geneva-lake-boats-mousette-map

_

#113 Fotos do Lago

Vou dedicar uma seção especialmente para fotos. É simples, eu passei mais de 2 horas rodeando o lago e tirando fotos da paisagem e também dos animais – não são poucos. O que você vai ver é: muitos, muitos barcos, e muitos pássaros, especialmente patos, gansos, e é claro, pombos. Ps: Esses bichos tem pulgas. E não é recomendável alimentá-los.

_

DSC03443
Mais de 3.000 barcos no porto de Genebra
DSC03439
Pato real no Lago Genebra
DSC03430
Pato do tipo Zarro
DSC03424
Patos e Gansos. Reparem que a água é límpida.
DSC03420
Barcos ao sol de Genebra. A bandeira da Suíça não pode faltar.

 

#114 Ao redor do lago: Parques. 

Existem alguns parques ao redor do Lago, como o Meu Repouso (perto da ONU e do bairro Paquis), o de La Grange (ao sul, perto do “porto” e da praia de Genebra), e o Jardim Inglês, que é o menorzinho, mas tem um dos spots mais conhecidos de Genebra: o Relógio de Flores. Sobre este não adianta falar, melhor mostrar uma foto. Aliás, prepare-se para muita concorrência tirando fotos.

_

DSC03362
Flower Clock, o Relógio Floral
DSC03374
Vista do Jardim Inglês

_

Tanto o Parque Mon Repos como o Parque La Grange são muito aprazíveis. O último é mais completo e possui pistas de cooper, uma mesa de xadrez tamanho família e diversas árvores locais, todas identificadas. Quem quiser dar uma corrida em Genebra no meio da natureza, eu recomendo o La Grange.

DSC03465
Construção no Parc La Grange
DSC_2049 (1024x576)
Árvores do Lago Genebra vistas perto da Praia (Plage) Genebra

_

# 115 Jet de L’eau e o ano novo

O Lago Genebra também é um dos pontos mais famosos de queima de fogos na Suíça, e mais belos também. São cerca de 20 minutos de uma bela e contínua apresentação colorida. Eu preferi mostrar o Jato de Água assim, também colorido.

Sim, eu passei o ano novo em Genebra, e foi bem legal. Diversos estrangeiros me parando, me desejando um bom ano, e alguns até me ofereceram champagne. Quem disse que os Suíços são frios?


  DSC_2078 (1024x576) DSC_2074 (1024x576)

_

#116 – Fondue no Bain des Paquis

_

Foi difícil conseguir um lugar no Le Bain des Paquis. Aliás, o nome oficial é Buvette des Bains e o link para o site oficial você encontra aqui. Afinal, era nada mais, nada menos, do que o dia 31 de dezembro, e muita gente queria passar a última noite do ano de boa, comendo fondue, sobre a (geladíssima) brisa e a visão do Lago Genebra.

Depois de muito tentar, eu consegui um lugar para sentar – todas as mesas estavam reservadas, e comer um dos fondues mais deliciosos de toda a minha vida, feito com champagne. O Le Bain de Paquis é um restaurante atípico. Ele fica no meio do lago, perto de uma sauna turca, e não é nada difícil achar.

Por 25 CHF (na época, R$ 60,00. Hoje é R$ 82,00, por que o Franco subiu demais), eu tinha direito a uma bebida e ao fondue. Funcionava assim: eles me davam uma bandeja cheia de pães e eu me sentaria. Depois de alguns minutos, chegaria a panela do Fondue. E eu posso dizer, um dos melhores que já comi em minha vida. O queijo tinha alma, tinha sabor. É rodízio, ou seja, eu poderia repetir o queijo e também o pão. Depois que acaba, eles raspam a panela para você.

É um lugar que eu recomendo bastante, e com certeza eu voltarei assim que for morar em Genebra.

DSC_2021 (1024x768)
Fondue no Lago Genebra

_

É possível ficar no interior ou exterior. No inverno e em noites frias, eles acendem barris com lenha para esquentar a galera.

Recomendo reservar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.