Dicas básicas de como estudar fora (pós-graduação)

Quando eu falo que eu sai do Brasil para estudar fora, muita gente me pergunta quais são os procedimentos. Por isto estou fazendo um post específico, com dicas básicas de como estudar fora em pós-graduação, embora tenha muitas informações para quem faça graduação e intercâmbio também.

Dicas básicas de como estudar fora (pós-graduação)

studdy

Antes de mais nada, sobre mim: faço mestrado em Direito Internacional no Graduate Institute of International and Development Studies, que fica em Genebra, na Suíça, é uma excelente instituição. Eu fiz USP no Brasil e ensino fundamental e médio em escola pública. Estou aqui sem bolsa, mas já tive ajuda da Universidade para com meus gastos.

Vou começar com algumas

dicas essenciais

-Inglês.

Se você tem tempo, e mesmo se você não tem, dedique um pouco a estudar inglês pelo menos até o nível intermediário. Mesmo que você queira fazer pós ou graduação na Argentina, Uruguai ou França, o inglês vai ser muito útil para você, por que:

  • É provável que você tenha que ler algum texto em inglês no seu estudo
  • Os melhores sites de bolsa estão em inglês
  • Os sites com mais informação sobre estudo estão em inglês.
  • Em imigrações, aeroportos e consulados, sempre vai ter alguém que fala inglês, caso você não seja exatamente bom na língua do país em que você vai
  • Muitas Universidades de todo mundo tem aulas em inglês.

– diferença entre programas executivos e mestrado

Aperfeiçoamento é uma coisa, especialização é outra e Mestrado outra completamente diferente. Os dois primeiros são voltados para negócios e profissões. O Mestrado é voltado para carreira acadêmica, mas não deixa de valor para negócios e profissões também.

Aperfeiçoamento costuma ser de até 1 ano.
MBA e LLM são especializações, de seis meses a dezoito meses (no mínimo 360 horas)
Mestrado, no mínimo dois anos, e tem tese.
Se você fizer MBA ou LLM fora, não é considerado Mestrado aqui (por que precisa de um mínimo de horas e redigir e apresentar tese).

– ano letivo e inscrição.

O ano novo letivo costuma começar em Setembro ou em Março na Europa, Austrália e Estados Unidos.

Por isso o processo seletivo deve ser feito, em geral em: Outubro a Janeiro (para Setembro do ano que vem). Abril a Agosto (para Março do ano que vem).

 

Passo 1 – A parte difícil: a escolha do país e da Universidade

Normalmente eu diria para você chegar neste post com o país e a Universidade escolhida. Mas como não é uma tarefa fácil, eu vou dar algumas dicas também.

As Universidades mais reconhecidas do mundo estão nos Estados Unidos, Reino Unido e na Austrália. As mais caras também. E normalmente, as Universidades americanas são bem reconhecidas no mundo todo, mas são especialmente nos Estados Unidos. As Universidades da Europa continental são bem reconhecidas no mundo todo.

Melhor ferramenta para escolha: Google! E aqui eu acho que o inglês vai te levar muito mais longe do que o português se você não tiver a mínima ideia de onde estudar. Por exemplo, se você é profissional de TI, de uma googlada “Best IT postgrad courses” “Best IT Universities”.

Melhor site para te ajudar na escolha, e para te ajudar de uma forma em geral com todos os assuntos: http://forum.thegradcafe.com/. Este site é muito focado em universidades do primeiro mundo, mas tem muitas informações úteis. Ah, inglês é primordial.

Site com informações de universidades europeias: http://www.postgrad.com/

Rankings com as melhores universidades do mundo:

QS Ranking (o mais reconhecido)

Times Higher Education 

Shangai Ranking

Passo 2 – O processo seletivo

Agora você tem que fazer a pesquisa de como entrar nas Universidades. Você tem que destrinchar toda a seção de entrada. Leia de cabo a rabo, mais de uma vez.

O que as Universidades normalmente pedem:

  • Proficiência na língua. No caso do Inglês, o TOEFL, o IELTS ou CPE, que custam mais ou menos entre R$ 500 a R$ 700. Espanhol – DELE. Francês – TCF, DELF e DALF. Italiano – CELI e CILS. Alemão – ONDAF e Instituto Goethe. Chinês – HSK. Japonês – JLPT. Mais informações no uol. Mais informações na exame.
  • Tradução juramentada de diploma, histórico escolar e outros documentos relevantes
  • Carta de Motivação
  • Carta de Referência (tem muito peso, invista bastante aqui)

Algumas universidades (especialmente as americanas) também pedem exames:

  • GRE (voltado para Mestrados, mas também para escolas de administração e negócios)
  • GMAT (mais voltado para escolas de administração, negócios e MBA)

Algumas universidades também pedem essays (dissertações sobre determinados assuntos)

Na maioria das vezes, não tem vestibular!

Passo 3 – Bolsas de Estudo

Normalmente as Universidades disponibilizam programas de bolsa de Estudo, levando em conta os seguintes fatores:

  • Condição socioeconômica
  • País de origem
  • Engajamento com necessidades comunitárias, resolução de problemas e feitos profissionais
  • Atividades extracurriculares
  • Carta de motivação (pesa bastante, e normalmente é aqui que as pessoas são eliminadas)

 

A primeira Bolsa que você tem que procurar é a da Universidade que você vai se candidatar. Mas não pare aí: já comece a procurar outras, e se, você puder se candidatar, já se candidate.

Se você for fazer intercâmbio, procure a sua universidade também.

Se não puder, fique ligado nos sites de bolsa. A Universidade pode ter uma lista com outras bolsas. Eu gosto deste site, que é específico para estudantes oriundos de países em desenvolvimento:

Scholars4dev

Tem também o Scholarshiptimes e o Scholarship portal.

No Brasil, o Estudar Fora tem diversas dicas. O Ministério das Relações Exteriores também.

Bolsas oficiais

CAPES – Doutorado, Pós-Doc e Estágio no Exterior

CNPq – Doutorado, Doutorado Sanduíche, Gradução Sanduíche

Ciências sem Fronteiras – Para Ciências Tecnológicas, Biológicas e Físicas.

FAPESP – Pós Doutorado e Pesquisa, iniciada em São Paulo.

Instituições que oferecem bolsa:

Fundação Estudar (processo seletivo voltado para jovens com perfil de liderança, engajamento, atividades extracurriculares, bom histórico e para boas universidades) – Graduação e Pós.

Instituto Ling (MBA e Direito em Universidades TOP, com processo seletivo parecido com o da Estudar) – Pós Graduação.

Fundação Lemann (especialmente Harvard)

Santander Universidades – Graduação e Pós.

Universia – Site com muitas informações

http://www.fundacioncarolina.es/ – estudar na Espanha

Esse guia é mais completo do que eu poderia fazer e tem muitas específicas

https://www.nesobrazil.org/bolsas-de-estudo – Holanda

 

Se você quiser, eu posso te ajudar a encontrar bolsas, mas cobro por hora. Em geral isso me toma de 1 a 6 horas, e pode ser limitado.

 

Passo 4 – Aguardando a seleção

Como eu disse por cima, o que pesa bastante na seleção é:

  • Carta de Motivação: deve ser singela, mas bem escrita. Erros de gramática costumam eliminar muitos candidatos. Não invente nada.
  • Carta de Referência: pesa muito. Invista bastante nisso. Escolha bons professores, bons chefes e bons colegas.
  • Ser Brasileiro costuma ser positivo. Os estudantes brasileiros passam por muitas agruras nas universidades brasileiras, especialmente as públicas, e normalmente já são pré-selecionados.
  • Atividades extracurriculares (prática de esportes, voluntariado, iniciativas de liderança) são muito bem vistos, especialmente nas americanas
  • Produção acadêmica não é pré-requisito, mas vale muito também – iniciação científica é interessante

 

Visite o Gradcafe para conhecer outros candidatos e acompanhar as datas em que sai o resultado.

Se você não for escolhido, não desanime. Você pode tentar nos anos seguintes e sempre vai ter o currículo um pouco melhor.

 

Passo 5 – Faça o visto e seja feliz

Foi aprovado!? Parabéns!! Você merece.

Comemore, mas comece a se aprontar assim que puder.

Estadia. Aí varia de país para país. Você tem que fazer isso bem cedo.

O visto! Quase sempre você precisaria de um visto específico de estudante. Leia muito bem os requerimentos, por que tem países cujo visto é demorado (3 a 6 meses).

Normalmente, o visto costuma exigir:

  • documentos de comprovação que você foi aceito
  • documentos de identificação
  • comprovantes de que você tem renda o suficiente para estudar (não necessariamente do curso todo. E se você ganhou bolsa, pode juntar) ou de que alguém vai se responsabilizar pelos seus gastos.
  • comprovante de estadia

Alguns países também costumam pedir carta de motivação, e declaração de que você vai sair do país assim que acabar o seu curso (Suíça e em breve a Inglaterra).

 

Bom pessoal, este foi um post com dicas bem básicas. Eventualmente, eu posso fazer um guia mais completo, e talvez um específico da Suíça.

Dúvidas, naquilo que eu puder te ajudar, vou responder.

One thought on “Dicas básicas de como estudar fora (pós-graduação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.