Jet Lag – Maldito distúrbio do sono dos viajantes

Antes de acontecer comigo parecia ser uma grande lenda urbana. Agora que eu estou no quarto dia longe do Brasil e mal consegui dormir, eu percebi: o Jet Lag pode nos atingir como um ônibus.

Jet Lag – Maldito distúrbio do sono dos viajantes

jet lag

Para quem não sabe, o Jet Lag é uma

alteração do ritmo biológico de 24 horas consecutivas, que ocorre após mudanças do fuso horário em longas viagens de avião, caracterizada por problemas físicos e psíquicos, esp. do ciclo do sono, devido a distúrbio dos níveis hormonais de hidrocortisona.

 

Em outras palavras, é um grande problema para dormir, em virtude de uma viagem realizada para uma zona de tempo diferente da sua.

No dia 31 de agosto eu sai de São Paulo, passei em conexão por Brasília, e ali fiz um voo de 9h00 para Portugal. Cheguei na terrinha eram 1h30 da manhã no Brasil. Francamente, eu nunca consegui dormir no avião em outras viagens, e não foi desta vez que consegui. Eu sou um mero mortal e só viajo de classe econômica, e para me acostumar com aquele assento minúsculo, em que vira e mexe a pessoa da frente consegue diminuir ao abaixar o dela, é muito complicado para mim.

Aí eu cheguei em Portugal, meio sonolento, cansado, e fiz o voo para o meu destino final, Genebra. Cheguei na minha nova cidade eram 10h30 daqui, 05h30 no horário Brasileiro.

Basicamente, até hoje, 04 de setembro, eu deveria ter dormido 24 horas, mas se eu dormi 14 foram muitas. Agora mesmo eu estou sentindo os efeitos do Jet Lag: raciocínio um pouco mais lento, sono em horas que eu devo ficar acordado, cansaço e falta de disposição para muitas coisas. Não estou de todo ruim: consigo me divertir e fazer grande parte das minhas tarefas cotidianas, mas o Jet Lag me atrapalhou muito e eu poderia ter feito muito mais e conhecido mais gente aqui.

O total do meu voo foi de cerca de 13h (com conexões, 19h), mas eu estava sem dormir, e na noite antes da minha viagem eu só tinha dormido 5h30 também!

Eu cometi um erro, e era com uma informação que eu já tinha. Quando você passa por situações como estas de longas viagens, você já tem que tentar se adequar ao seu destino no primeiro dia. Ficar acordado enquanto há sol e tentar dormir na hora normal. Acontece que aqui em Genebra eu estava tão cansado que quando bateu as 16h00 eu fui dormir e acordei as 19h00. E isso é um dos pecados capitais. A partir daí, eu não consegui mais dormir direito: na primeira noite eu fui dormir as 6h00 da manhã e acordei as 13h00. Na segunda noite eu não dormi nada e durante o dia, umas 15h00 da tarde, eu senti um sono tão grande que quase cai dormindo no parque mesmo. Cheguei em casa e dormi umas 3h. Quando foi ontem a noite, eram 04h00 da matina e nada de sono. Não sei como, acabei dormindo talvez das 05h00 às 09h00 e agora estou um pouco melhor (eu diria que 60% das baterias carregadas).

Hoje estou meio zumbi. Um zumbi feliz, mais um zumbi, com olheiras e sacos embaixo dos olhos rs.

Pois é, não está bolinho não. Mas como eu li bastante sobre o assunto nos últimos dias, eu gostaria de dividir com vocês algumas informações.

Informações relevantes sobre o Jet Lag:

grumpy-cat-gata-noticia-01

  • Quanto mais zonas de tempo você ultrapassa, mais tempo seu organismo demora para se recuperar do Jet Lag. E é proporcional: um ou duas zonas por dia.
  • Quando você viaja para o leste (Brasil-Europa, por exemplo), o Jet Lag é mais intenso por que é mais difícil para o corpo se acostumar a um horário mais cedo do que mais tarde.
  • Se você dormir durante o dia, seu corpo vai demorar mais para se acostumar.
  • O que você come não importa tanto, é só não exagerar.
  • A exposição ao sol é importante para regular os seus níveis hormonais e o ciclo circadiano.
  • Tentar manter-se acordado é importante, mas se o sono for muito grande, dá para tirar um cochilo de 30 minutos a 1 hora (não faça como eu, cujo cochilo foi de 3 horas).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.