É preciso ficar só

Procuro um tempo, daqueles tempos únicos, tempos para ficar só. Ao menos um tempo, um grão de areia da nossa ampulheta. Amo as pessoas, amo as novas experiências, mas não deixo de te amar: a interação entre o eu e o não interativo. As vezes, poucas ou muitas vezes, é preciso ficar só.

É preciso ficar só.

Man-Sitting-Alone

Tá na cara mas tem que falar por que não está escrito ainda. É preciso de um tempo e não todo o tempo do mundo. É preciso parar e ouvir a conversa interior, e isto leva um tempo, não mais do que um tempo, que aparece aqui e acolá, mas não é de toda a eternidade, não é de todo o universo.

É preciso parar e contemplar o cosmos externo e deixar conversar com o cosmos interno. Fazer teu mundo girar, faz sim, mas tem horas que é preciso dar corda e começar de novo. É preciso voltar para a caverna, fechar todas as frestas e parar, parar para pensar, para zunir o teu instinto e deixar as ideias fluirem como um rio, que se deixado quieto, vai fluir como sempre fluiu. E se represar, pode acabar, secar, sujar, explodir, vazar. E ai, vai ser um estrago.

Os sentimentos, pensamentos, ideias e contemplações estão neste rio, e as vezes é preciso soltar, deixar levar e lavar – sozinho. Vai ver que cada qual abre um braço de água e percorre até onde deve percorrer.

Amo as pessoas, amo o som de palavreado em todas as línguas mas não posso deixar de lado o som de minha própria voz, aquela que me diz e rediz, me proseia todos os dias.

Deixem o celular de lado, o computador de lado, a TV de lado e até mesmo as páginas gastas do livro. Assiste, touch e leia a si mesmo. É preciso ficar só, e ai não é wi-fi – é uma ligação direta, urbana, interurbana, DDI e intergalática – fale consigo mesmo agora e ganhe a si mesmo de presente.

Mas sim, não me leve a mal – o gostar é externo, o amar é interior, e o primeiro surge quando bebê – antes do pai da mãe dos tios avós cachorro gatos amigos e amadas, é o ego, é o nós, e as vezes nos lembramos e esquecemos deste serzinho que se mostra como uma criança interior e requer atenção, uma conversa, certas explicações, certos olhares. Requer um tempo sozinho.

Basta de interação externa. O Eu interativo procura interagir com o não interativo, os sons da vida e do silêncio, as cores, cheiros e significados da natureza.

É preciso ficar só.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.