Como é viver em Genebra – Primeiras observações

Acho que as perguntas que eu mais recebo aqui no meu blog estão relacionadas com o tema de como é viver aqui em Genebra e na Suíça. Elas tem a ver especialmente com preço, com trabalho, com clima, com xenofobia e com chocolates e queijos, obviamente. Genebra oferece muito mais do que isso, mas já adianto que é uma cidade muito difícil para trabalhar.

Como é viver em Genebra – Informações básicas

12002371_1008687709161804_9088066412376042762_o

Antes de mais nada eu digo que não pretendo esgotar o assunto. Tem muitas coisas que eu não sei como funcionam aqui. Outras, se você tiver curiosidade, pode perguntar. Eu gosto muito de saber sobre coisas novas.

Preço das coisas

Se alguém te disser que na Suíça, tudo é caro, eu vou te confirmar que, sim, é caro. Mas para estrangeiro. Para quem ganha em Franco Suíço, as coisas básicas como comida, bebida e transporte não são tão pesadas no orçamento. Se a gente fizer um exercício rápido, um Brasileiro que ganha uns 2.000 reais por mês vai achar que muitas coisas são bem caras. Ovos a 5 reais a dúzia. Carne a R$ 40,00 o Quilo. Leite 1l por R$ 2,40. Aqui na Suíça, normalmente os locais ganham muito mais do que 2.000 francos por mês. E os preços são relativamente mais baixos para o mesmo padrão. Eu encontro ovos a 5 francos a dúzia no Coop. Carne é um pouco mais cara mesma. Já o Leite 1L encontro por menos de 2 francos. Tudo é relativo, mas se você ganhar em Franco (o que não é o meu caso ainda), fica muito mais fácil sobreviver.

Supermercados:

coop

Aqui em Genebra e em grande parte da Suíça tem dois grandes mercados: o Coop e o Migros. Eles são as redes maiores, e por isso muita gente acha que são caros. Pela minha experiência, se você procurar bem, dá para encontrar ótimos achados, especialmente a linha própria de alimentos das redes. Eu consigo achar 1 litro de Ice Tea por 0,50 Francos e pra mim isso é barato.

Existem também o LIDL e o Denner, que são duas marcas menores de mercado. Eles tem a cara do “DIA” e do “Extra” no Brasil. São relativamente mais baratos que os mercados maiores, mas mais bagunçados também.

Existe a opção de fazer compras no Carrefour que fica na França, que é definitivamente mais barato, especialmente para carnes. Eu vou dedicar um post exclusivo para isto.

Ah, detalhe: nem todos os mercados fornecem sacolas.

Detalhe 2: O comércio costuma fechar no começo da noite e aos domingos, exceto restaurantes e alguns mercadinhos, a maioria de imigrantes.
O Migros da estação Central funciona todos os dias até as 23h e é a salvação de muita gente.

Transporte

tram

Mais um serviço que para nós é caro, mas para o cidadão daqui, não. Você paga 3 francos em média para andar 1 hora no transporte público da cidade, e, se você for menor de 15 ou idoso, ou tiver o cartão de conveniência, paga só 2 francos.

Você também pode comprar o bilhete mensal (70 francos para maiores de 25 e 45 para jovens) ou o anual (500 para maiores de 25 ou 400 para jovens). Um bilhete de dia inteiro em Genebra é 10 francos (8 com tarifa reduzida no cartão conveniência). Para mais informações, consulte o site

Bom, o transporte funciona muito bem: aqui a cidade é bem servida pelos trams (bondes), que ligam o centro e outras regiões mais distantes, os ônibus, que tem inclusive disponibilidade para visitar a França, outras comuns e outros cantões da Suíça, e os Mouettes, que são os barcos que cruzam o Lago Genebra dentro da cidade.

Afora isso, bicicletas e patinetes, além é claro de motos e carros, são meios bastante comuns. A bicicleta e o patinete já estão muito integrados ao modo de vida da cidade e muita gente inclusive trabalha com eles. É possível, por exemplo, alugar uma bicicleta gratuitamente no Geneve Roule.

A estação central de Trem de Genebra é a Gare Cornavin, e não fica a menos de 5 minutos de trem do aeroporto.

Parques e Diversão

DSC_2056 (1024x576)

Geneva tem parques, muitos parques, muito verde, muita natureza, tem algumas museus muito interessantes, e restaurantes do mundo todo. Tem poucas baladas e em geral eu ouço que não são tão boas. O povo daqui gosto de correr, bike, fazer picnic na orla do lago e nos parques, beber, comer, ir ao restaurante. Os cinemas não são tão grandes.

Trabalho

Infelizmente é o meu papel de jogar um banho de água fria em quem está interessado em trabalhar aqui – em 90% do casos, pode ir tirando o cavalinho da chuva. As leis são muito restritas para que um estrangeiro possa trabalhar aqui, e mesmo assim privilegiam os europeus. Se você não tem cidadania, infelizmente vai ter muitas dificuldades. Basicamente, eles não querem o estrangeiro aqui, roubando trabalho dos locais.

Assim, em condições normais, para você ser empregado aqui, tem que ser um especialista, alguém muito diferenciado, e não existir nenhum suíço, e nenhum europeu mais qualificado que você. E mesmo assim, o processo demora de 4 a 6 meses para obter resposta.

Se você vier como estudante, dependendo do visto, você pode trabalhar 15h por semana a partir do 6º mês. Mas já adianto que o francês é fundamental.

A exceção a esta regra é trabalhar em uma Organização Internacional, tal como a ONU ou a OIT,  e, neste caso, você pode trabalhar integral e ganha um visto especial.

Xenofobia?

refuge

Genebra parece ser uma cidade bem receptiva e até agora eu não vi e nem fui alvo de qualquer sinal de xenofobia, racismo ou preconceito pelo fato de ser brasileiro. Senti um pouco de distância, não um desprezo, mas sim um incomodo de falar inglês aqui. Todo mundo que trabalha em atividades rotineiras fala francês.

O tratamento dos Suíços sempre foi muito cordial, e eu sinto que é melhor do que o tratamento dado pelos franceses. Em geral, eu também sinto que os Suíços gostam dos brasileiros – pelo menos os que eu conheci até agora.

Perto de tudo. Uma cidade plana.

P1000498

O melhor de Genebra é que ela é uma cidade pequena e é relativamente fácil encontrar as coisas. Os lugares não são tão distantes, mesmo de bicicleta. E para um país montanhoso, é uma surpresa ter uma cidade tão plana como esta, o que favorece andar de bike ou patins, patinete, o que seja.

Estou a menos de 30 minutos da França. Chego na Itália em 2 horas e na Alemanha em três horas. Posso ir para Lichtenstein e usar os meus francos. Essa proximidade de outros países é um dos grandes chamativos da cidade.

12 thoughts on “Como é viver em Genebra – Primeiras observações

  1. Olá André, gostaria muito de saber questões a respeito de moradia em Genebra, estou com a minha tia na cidade, porém sinto muita dificuldade de encontrar quarto para alugar ou apartamento com pessoas de confiança, pessoas sérias, para morar. Vamos morar por um alguns meses em Genebra, eu cheguei faz pouco tempo, mas minha tia morou aqui por muitos anos e depois voltou pro Brasil, agora estamos meio perdidas sem saber lugares para ficar. Gostaria de suas dicas por favor, se tem algum site onde eu possa encontrar algo ou se conhece alguma pessoa ?
    Agradeço pela atenção antecipadamente

    Att,
    Giovana

    1. Oi Giovana, infelizmente eu nao sei muitos lugares aqui para ficar.

      Tem um grupo chamado IHEID Homeless in Geneva no Facebook, você poderia começar por lá.
      As comunidades de brasileiro de repente também podem te ajudar

      Talvez o AirBnb fosse uma boa para você também

  2. Eles mantêm aquela forte tradição cristã/protestante ainda? Aquela oriunda do século XVI com a significativa influência de João Calvino?

    1. 6400 CHF por mes limpos??? minha nossa…o k eu fazia aqui na suíça com um salário desses!!! Ja pode fazer uma vida bem boa!!!

  3. Olá Sara íman

    Qual é o custo básico médio .de vida para uma família de 2 adultos e uma criança de 1 ano e meio? Tenho a cidadania italiana e penso em ir trabalhar em alguma trading aí. Meu inglês tá bala mas preciso aprender o francês. Da pra conseguir algo mesmo estando no BRL? O que você acha?
    Abxxx

  4. Moro em Zürich a 4 anos mas sempre sonhei com genebra, aqui trabalho limpando casas privadas e 50% em um restaurante. Gostaria de saber se é difícil encontrar estes empregos aí e como funciona.

  5. Gostaria de saber se há muito.trabalho com assentamento de ceramica aí em Genebra, morei no usa e desejo passar o verão na Suíça.sobrw salário se souber algo ok.
    Obrigado!

  6. Olá Salirman, tudo bem? Meu nome é Viktor Kotkiewicz, tenho 18 anos, e gostaria de imigrar eventualmente para Suíça para empreender. No entanto, dada as circunstâncias do pouco conhecimento que tenho perante o tema em determinada localidade, acabo por somar algumas dúvidas. O que você sabe sobre empreendedorismo suíço/genebrês? Existe alguma espécie de estímulo para novos imigrantes empreendedores? Por acaso você tem alguma referência de sites ou algo do gênero que possa me passar para maior esclarecimento do assunto? Agradeço desde já pela resposta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.