O mundo pode não ser confiável. Não é por isso que você vai deixar de ser.

Não se martirize pelas respostas nunca recebidas, pelas saídas esquecidas, pelas promessas não cumpridas, pelas duas setas azuis ignoradas do whatsapp e por ser a pessoa que sempre chega na hora. Num mundo onde confiança é raridade, quase nunca o problema é você.

O mundo pode não ser confiável. Mas não é por isso que você vai deixar de ser.

trust

Pode reconhecer. As vezes o mundo é uma merda.

Na lata: as vezes as pessoas estão pouco se fodendo para você. Enquanto você está se importando demais. É defeito seu? Não – na maioria das vezes, existe uma promessa, uma expectativa – você cumpriu com a sua parte e a outra pessoa não. Ponto final. Não se rebaixe. Não se martirize.

Pode reconhecer também: as vezes a gente se ferra quando confia demais. Mas – se você é a pessoa que se importa, e os outros não, não deixe de sê-lo. É uma raridade nos dias de hoje. Só não se martirize. Desde quando é problema seu? Por que você precisa mudar o seu bom comportamento para ficar a par com o mau comportamento dos outros?

Seja o exemplo. Siga a sua intuição e não o seu orgulho. Persista no seu bom caminho e no seu comportamento.

Não deixe de ser confiável simplesmente por que muita gente não é. Não se nivele por baixo. Não corra o risco de quando aparecer alguém confiável, você perder a oportunidade de ter a amizade, amor, ajuda ou contato profissional daquela pessoa. Eu perdi, por diversas vezes, quando não me toquei da minha própria individualidade exacerbada.

Se você é daquelas pessoas que manda a primeira mensagem e não tem a resposta de quem se comprometeu a fazê-lo, não é necessariamente problema seu. Tentar cobrir a falta de atenção dos outros com a sua atenção excessiva só vai fazê-lo sofrer mais e se sentir doando mais do que recebeu. E pior, ainda pode fazer do contraventor se vitimizar e se dizer cobrado. Mas era uma promessa! Pois é.

Conheço muitas pessoas que se martirizam pela falta de reconhecimento ou de atenção dos outros, quando fizeram todo o bê-a-bá necessário. NÃO! Não se culpe. Fique feliz por reconhecer que fizeste a sua parte. Persista amigo. Haverá de ser reconhecido pelas outras pessoas confiáveis.

—————————————–

slide-trust

Sabe quando você marca com alguém a outra pessoa não aparece? O problema é dela. Eu tenho que repetir. O problema é dela, não seu. Parece óbvio mas muita gente se confunde. É simples – mesmo que você deu mancada, é obrigação da pessoa te dizer que não vai aparecer. Regra simples, muitas vezes não cumprida. É como dizer um-dois-três, mas muita gente não consegue.

Uma simples palavra basta, e é melhor ser dita antes. Mas pode ser dita depois: DESCULPA.

Me desculpa. Simples. Mas isso não existe no dicionário de muita gente. Para muitos, desculpas são somente o que os outros declaram, e não eles mesmos.

Não se lastime sobre mensagens não respondidas. As vezes você pode estar querendo demais, as vezes pressionando demais. As vezes o problema é seu sim. Mas se você foi respeitosa(o) e não passou dos limites de liberdade que a outra pessoa te dá, e mesmo assim não obteve resposta, o problema não é seu. As vezes acontece de outrem simplesmente ser esquecido ou não ter a resposta. As vezes não quis responder. Mas não se iluda se culpando.

E quando lhe prometem escrever mas não escrevem? O problema é deles. Novamente: O problemas é DELES. Fez a sua parte? Fez. Ponto. Você é confiável. Não deixe de sê-lo. Não perca a cabeça.

Alguém lhe traiu? Não precisa trair. Se alguém lhe roubar não precisa roubar. Se alguém lhe mentir não precisa mentir. Não manche o seu espírito. A consciência vai pesar em você depois.

Promessas não cumpridas são chatas de cobrar, mas são promessas e você é uma pessoa que merece respeito. Cobre, mas com respeito.

E se você for a parte que agir sem consideração – simples: peça desculpas.

sad_cat
Pedir desculpas é fácil e vai movimentar bem menos músculos do que recobrar a confiança depois.

—————————————————

Eu sou daquele tipo de pessoas que costuma ser um dos primeiros a chegar – no horário, e normalmente ainda ser surpreendido pelos comentários de que eu cheguei muito cedo.

Lembro de um episódio interessante no Brasil que me deixou muito chateado. Marquei com uma série de amigos de ir no Karaokê. Reservei uma sala das 19h00 até as 21h30 e cheguei no horário. Nenhum dos meus amigos chegou em menos de meia hora e a maioria chegou 1h30 depois, somente um deles avisou que chegaria depois (o primeiro).

Só puderam aproveitar 1h. Depois, com cara de bunda, ficaram reclamando de como havia passado rápido. Durante alguns dias eu pensei que o problema era meu de marcar um evento e imaginar que as pessoas iriam chegar no horário. Eu tinha ficado esperando com cara de tacho. Ai me dei conta do absurdo. Desde quando o problema de ser confiável é meu?

——————————————–

Ah, as agruras de 2015. Eu me lembro de quando eu pastava para conseguir qualquer ajuda para vir estudar em Genebra. Fiz uma vaquinha virtual. Mandei um e-mail para os colegas de trabalho e um deles, que eu não conhecia, me prometeu R$ 5.000,00 de uma vez só. Quase metade do que eu precisava no momento. Eu fiquei super feliz. E felizmente não contei com aquilo. Achei estranho e depois de quase seis meses confirmei. Aquele colega mal-caráter só estava brincando com a minha boa-fé e nunca me ajudou. Vou deixar de ter boa-fé por isso? Nunca.

Se você tiver histórias semelhantes, compartilhe aqui!

 

2 thoughts on “O mundo pode não ser confiável. Não é por isso que você vai deixar de ser.

  1. Adorei o texto ..e ️sim temos que seguir nossos idiais , naquilo que acreditamos e se para nós ser cinsero ter carácter acreditar sempre que vale a pena a honestidade , deveremos então ser um exemplo para uma humanidade tão rara nos dias de hoje , mas que sem dúvida vale a pena marcar a diferença !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.